fbpx

Equipamentos e máquinas utilizadas na colheita de arroz

Levantamentos realizados pela Embrapa demonstram que as perdas de grãos na colheita são elevadas e influenciadas por diversos fatores, relacionados principalmente ao método e ao momento de realização da colheita, à capacidade de operação das colhedoras e à cultivar.

Nas lavouras de arroz irrigadas ou de várzeas, a baixa sustentação do terreno dificulta a operação das máquinas. Por isso, o uso de equipamentos adequados é fundamental para aumentar a produtividade, evitar perdas e reduzir o uso de mão de obra na colheita de arroz. 

Mas você sabe como a tecnologia contribui para melhores resultados? O que fazer para reduzir perdas e tornar os processos mais eficientes? Neste artigo, você encontrará informações úteis sobre equipamentos e máquinas usadas na colheita de arroz e dicas para melhorar a sua produção.

Como obter melhores resultados na colheita do arroz

A colheita é uma das etapas mais importantes do processo de produção do arroz, pois ajuda a  assegurar um produto de qualidade e confere maior rendimento à lavoura.

Porém, se mal conduzida, a colheita pode acarretar perdas de grãos e gerar prejuízos. Segundo estimativas do MAPA, as perdas vindas das plantações de arroz chegam a 22%. Desse total, a maior parte ocorre durante a colheita (12,6%), seguido do armazenamento (7%) e por fim no processamento (2,4%).

Os principais fatores de perdas na colheita mecanizada do arroz são aqueles decorrentes das condições das lavouras, como o acamamento das plantas e a presença de plantas daninhas. Colheitas feitas antes do ponto de maturação ideal afetam a produção de grãos e a qualidade comercial do arroz. 

Além disso, a umidade inadequada dos grãos, o estado de conservação, de manutenção e de regulagem das máquinas e o despreparo do operador também são fatores responsáveis por perdas.

Conheça as máquinas utilizadas na colheita do arroz

O uso de novas tecnologias tem possibilitado aumentar a produção de arroz no Brasil, mesmo sem o aumento de área plantada e insumos.

A colheita do arroz pode ser realizada por três métodos: 

Manual: As operações de corte, enleiramento, recolhimento e trilha são feitas manualmente.

Semimecanizado: O corte, o enleiramento e o recolhimento das plantas são manuais, com o uso de cutelo, e a trilha, mecanizada, usando trilhadoras estacionárias.

Mecanizado: Todas as operações são feitas por máquinas.

As principais máquinas envolvidas nessa cultura são as ceifadoras, as trilhadoras e as colhedoras.

* Ceifadoras: Destinadas às pequenas lavouras de arroz, essas máquinas são constituídas basicamente de chassi com rabiça montado sobre duas rodas, motor e unidade de corte e recolhimento de plantas. Algumas ceifadoras possuem depósito de plantas colhidas, que é esvaziado de tempo em tempo durante a operação. Outras são providas de mecanismos de descarregamento de plantas em leira.

* Trilhadoras: Têm a função de retirar os grãos das panículas de arroz e separá-los das demais partes da planta. Modelos mais comuns de trilhadoras para arroz possuem cilindro trilhador de dentes com fluxo de plantas tangencial. Outros modelos possuem trilhador com fluxo de plantas axial. Além disso, as trilhadoras são providas de peneiras, ventilador e saca-palha para retirada da palha e limpeza dos grãos.

* Colhedoras de arroz: Colhem e trilham as plantas numa única operação. Podem ser automotrizes ou acionadas pelo trator. São caracterizadas por possuírem mecanismos de corte e alimentação de plantas, trilha, separação, limpeza, transporte e armazenamento de grãos e de outros componentes especiais para garantir boa operação nas variadas condições de cultivos, como os irrigados.

Após colhido, o produto é transportado, pesado, seco e enviado para o armazenamento. 

Veja como as máquinas ajudam na colheita do arroz

Em busca de aumento de produtividade e redução de custos, os agricultores investem em máquinas agrícolas de alto desempenho. Um equipamento que vem se destacando na cultura de arroz é o Roblift Agro. Esse reboque roll on roll off com braço mecânico acoplado em trator é utilizado para carga, descarga e transporte de diversos produtos, como grãos, adubos, defensivos e máquinas. 

Esse reboque multiuso pode operar com diversos produtos acoplados, como caixas de carga ou caçamba, plataforma para máquinas, estrado para madeiras, grua ou guindaste, tanques, carroceria boiadeira, espalhadores, entre outras aplicações. Ele também é usado no transporte de implementos e como carreta basculante na manutenção de estradas durante a entressafra.

O Roblift Agro é utilizado em todo o período produtivo, desde o preparo do solo, o plantio, a pulverização, até a colheita. Ele é capaz de fazer a carga e descarga dos grãos com autonomia e agilidade, reduzindo o tempo de operação e o número de funcionários envolvidos. Por isso, é reconhecido pela sua versatilidade e economia.

Esse equipamento roll on roll off pode ser usado como graneleiro durante a colheita, como reboque para agilizar o abastecimento de adubo ou com o tanque d’água para acompanhar a pulverização. Desse modo, o agricultor pode fazer a colheita com apenas um trator, reduzindo gastos com mão de obra, combustível e manutenção. 

Nas lavouras de arroz irrigadas ou de várzeas, a baixa sustentação do terreno dificulta a operação das máquinas. Para diminuir a quantidade de atolamentos, é necessário equipá-las com rodas largas, de maior superfície de contato com o solo. Além disso, as máquinas colhedoras devem preferencialmente ser providas de tração em todas as rodas.

O Roblift Agro é capaz de operar mesmo em terrenos alagados e locais de difícil acesso, onde os caminhões não conseguem chegar, inclusive em períodos de chuva. Isso porque tem altura adequada e traz pneus extralargos (pneus flutuantes), que apresentam grandes áreas de contato com o solo. 

A gente usa esse equipamento para plantar, fazer aterro, com uma prancha para carregar materiais… Eu o utilizo para transportar adubo, lenha na prancha, a draga em cima da prancha, os aterros todos na lavoura foram feitos com esse reboque. A gente faz muita coisa com ele que um caminhão às vezes não consegue fazer, principalmente em época de mau tempo, de estrada ruim”, afirma o agricultor Luiz Fernando Patella. 

Principais benefícios:

  • Máxima utilização do trator.
  • Sistema hidráulico independente.
  • Mais produtividade e eficiência.
  • Alcança terrenos onde o caminhão não é capaz.
  • Não danifica o solo.
  • Preserva a integridade do grão.

Como vimos, os equipamentos e máquinas utilizados na colheita de arroz contribuem significativamente para facilitar os processos, reduzir perdas e aumentar a produtividade.

Quer saber mais sobre como o Roblift Agro pode reduzir os seus custos e otimizar a sua produção? Fale com um consultor clicando aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *