fbpx

Quando fazer a troca da cinta de elevação?

Não importa qual seja o uso ou o setor em questão, a troca da cinta de elevação é indispensável para garantir mais segurança e conformidade em qualquer tipo de operação.

Utilizadas na elevação de diversos tipos de cargas, elas são muito mais vantajosas que os cabos de aço, mas também demandam alguns cuidados para que não tragam problemas em sua utilização.

Se você utiliza esse tipo de material em seu cotidiano de trabalho, ou mesmo é lojista e precisa orientar seus consumidores, confira a seguir todos os detalhes sobre a troca da cinta de elevação!

Por que é importante verificar e fazer a troca da cinta de elevação periodicamente?

Com a frequência de trabalho e o passar do tempo, as cintas de elevação passam a se desgastar e a perder sua eficiência.

Isso significa que, periodicamente, elas precisam ser trocadas para que as elevações possam continuar sem problemas, sejam elas feitas na construção civil, na indústria mecânica, de transporte portuário, ou em qualquer outra área.

Mais do que um cuidado diretamente ligado ao desempenho das operações, trata-se também de uma obrigação de segurança indispensável, não só para a integridade das cargas, mas principalmente daqueles que trabalham em sua elevação.

Quando realizar a troca da cinta de elevação?

Em primeiro lugar, tenha em mente que o período de troca da cinta de elevação sempre deve ser informado pelo fabricante, já que o material sofre com desgastes naturais provocados pelas intempéries do tempo. Geralmente, ele é de 6 meses.

Além de respeitar rigorosamente esse prazo, não abra mão de inspecionar o material sempre que for utilizá-lo. Opte pela substituição toda vez que a cinta apresentar condições duvidosas de segurança, como em casos que:

  •       As costuras estiverem cortadas, com furos ou rompidas, mesmo que superficialmente;
  •       Os ganchos, travas, pinos e acessórios em geral estiverem tortos, com cantos cortantes ou excessivamente desgastados;
  •       Apareçam nós ao longo da cinta;
  •       Surjam desgastes por abrasão, produtos químicos, queimaduras por solda, entre outros semelhantes;
  •       A etiqueta de identificação seja perdida ou esteja ilegível.

Se você perceber que chegou a hora de realizar a troca da cinta de elevação, não se esqueça de que o descarte precisa ser feito da maneira correta!

Por tratar-se de um material robusto e com potencial de provocar danos à natureza, entre em contato com o seu fabricante e oriente-se sobre a destinação adequada para a sua cinta. Muitas vezes, as próprias empresas as recebem e reutilizam.

Qual a importância de usar cintas de elevação adequadas e de qualidade?

Muito além de respeitar os períodos de troca da cinta de elevação e de utilizá-la corretamente, também é fundamental garantir que o material utilizado realmente seja de qualidade.

Afinal, não importa adotar todas as precauções necessárias, se o produto que você escolheu não corresponder às suas expectativas de desempenho e segurança.

Por isso, sempre que você for escolher as cintas ideais para suas operações, priorize aquelas que sejam resistentes, ofereçam capacidade acima da média exigida, tenham camadas duplas ou quadruplas, proteções diversas, ganchos tratados termicamente e diversas certificações.

Se você gostou do nosso conteúdo sobre troca da cinta de elevação e quer garantir os melhores produtos da área para a sua empresa, acesse o link e confira agora mesmo a linha completa da Robustec!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *