fbpx

Como reduzir perdas na colheita de arroz

perdas na colheita de arroz

Você tem se perguntado como reduzir perdas na colheita de arroz? A colheita é uma das etapas mais importantes do processo de produção do arroz, pois ajuda a assegurar um produto de qualidade e confere maior rendimento à lavoura.

Porém, se mal conduzida, a colheita pode acarretar perdas de grãos e gerar prejuízos. Por isso, alguns cuidados são necessários para reduzir perdas e assegurar a produtividade do cultivo.

Saiba como obter melhores resultados na colheita

Definir o ponto ideal da colheita impacta diretamente na produtividade da sua lavoura. Isso porque colher cedo demais pode representar grãos imaturos, gessados e malformados.

Por outro lado, quando o arroz é colhido muito úmido ou tardiamente, com baixo teor de umidade, a produtividade e a qualidade dos grãos são prejudicadas.

Para saber o ponto ideal de colheita, deve-se levar em consideração fatores como o tempo de ciclo de desenvolvimento da plantação. O teor de umidade adequado deve estar entre 18% e 23%.

Outro aspecto importante é a mudança visual da casca do grão: quando dois terços da panícula estiverem maduros, estará na hora de colher. Também se pode avaliar o momento ideal pela amostragem de tato: se o grão quebrar, está no ponto de colheita; se amassar, o arroz ainda precisa amadurecer mais um pouco.

Também é importante atentar para o horário de colheita. Deve-se evitar que a operação seja realizada pela manhã, quando os grãos ainda estão umedecidos pelo orvalho. Caso ocorra chuva, deve-se esperar que o arroz seque completamente. Do contrário, pode haver obstrução na colhedora.

perdas na colheita de arroz

Confira as dicas para reduzir perdas na colheita de arroz

O tamanho da lavoura deve ser planejado de acordo com a capacidade de realização da colheita disponível na propriedade. Devem ser considerados fatores como mão de obra, colhedoras e secadores.

Na  colheita mecanizada, a operação é realizada por diversos modelos e tipos de máquinas, sejam tracionadas por trator ou colhedeiras automotrizes.

Uma única colheitadeira é capaz de colher, em média, 2.000 sacas diárias. Mas para obter um máximo de eficiência na trilha, com mínimo dano e perda de grão, é preciso atentar para a regulagem correta do equipamento. Para isso, é necessário adequar a abertura entre o côncavo e o cilindro batedor de plantas.

Além disso, a velocidade do molinete precisa ser ligeiramente superior à velocidade de avanço da máquina. Desse modo, as plantas ceifadas são puxadas corretamente para dentro da máquina. Velocidades de operação excessivas devem ser evitadas, pois aumentam substancialmente as perdas.

Veja, a seguir, outras dicas para uma colheita bem sucedida sem que haja perdas na colheita de arroz:

  • O teor de umidade dos grãos na colheita deve ser o mais adequado. Afinal, ele interfere no rendimento de grãos inteiros no beneficiamento e na perda de produção.
  • A drenagem antecipada favorece a economia de água, mas pode acarretar decréscimo na produção. Geralmente, a época da drenagem deve ser efetuada dez dias antes do corte de arroz. Desse modo, oferece maior facilidade de locomoção da máquina na área, sem prejuízo para a produção e a qualidade dos grãos.
  • Não se deve utilizar o mesmo terreno para plantar o cereal pelo período de dois anos consecutivos. O ideal é aguardar um intervalo de, pelo menos, um ano. Do contrário, a produção não será tão abundante e o arroz poderá apresentar baixa qualidade.
  • Após a colheita realizada, deve-se tomar cuidado com os restos da planta que ficam no terreno. Afinal, eles demoram para se decompor e podem atrapalhar a germinação das próximas sementes. A presença de muitas plantas daninhas na lavoura afeta o desempenho das máquinas, pois causa embuchamento. Para evitar esses problemas, recomenda-se arar a terra para espremer os resíduos e facilitar a decomposição.

perdas na colheita de arroz

Saiba como fazer o manejo pós-colheita

Os cuidados no período pós-colheita também são muito importantes, pois asseguram que os grãos tenham uma secagem e armazenamento adequados.

 Veja quais são os procedimentos recomendados para o pós-colheita:

  • Os danos causados pelas máquinas durante a colheita devem ser corrigidos para viabilizar a semeadura na época preferencial de cultivo. As máquinas devem ser usadas para a readequação da área e o renivelamento da superfície do solo. A incorporação da resteva facilita a decomposição do cultivo.
  • O arroz recém-colhido usualmente apresenta um grau de umidade excessivo para ser armazenado com segurança. Por isso, é necessário secá-lo. Afinal, um grau de umidade elevado durante a armazenagem provoca perdas da qualidade, do poder germinativo e do vigor dos grãos.
  • A secagem pode ser feita por dois processos: o natural e o artificial. O natural consiste em utilizar o calor e o vento para a secagem. O artificial, por sua vez, é realizado com a utilização de secadores especialmente projetados para esse fim.
  • Os grãos devem ser limpos e secos com secadores convencionais até o teor de umidade de 15%. Em seguida, passam para silos pulmões para conclusão da secagem (12%) e estabilização do produto.
  • Para evitar danos ao arroz, quando se destina ao plantio, a temperatura de secagem deve se situar entre 42º C e 45º C. Na secagem de grãos para consumo, a temperatura do ar não deve ultrapassar a 70ºC.
  • O armazenamento de grãos é outra etapa importante para o controle e a manutenção da qualidade do produto. Deficiências nesta etapa se traduzem em pontos de estrangulamento no setor agrícola, na comercialização e na distribuição.
  • Para ser melhor conservado no armazenamento, o arroz deve estar limpo e com teor de umidade entre 13% e 14%.

perdas na colheita de arroz

Veja como o Roblift Agro ajuda na produção de arroz

Um equipamento que vem se destacando na cultura de arroz é o Roblift Agro, um reboque multiuso roll on-roll off reconhecido pela sua versatilidade e economia.

Esse equipamento pode ser usado como graneleiro durante a colheita, como reboque para agilizar o processo de plantio com o abastecimento de adubo, para auxiliar a pulverização com o tanque d’água, entre outras aplicações. Desse modo, o agricultor pode fazer a colheita com apenas um trator, reduzindo gastos com mão de obra, combustível e manutenção.

Outra grande vantagem é que ele é capaz de operar em locais de difícil acesso, como terrenos úmidos, mesmo em períodos de chuva. Com todas essas funcionalidades, o Roblift otimiza o potencial de uso do trator ao máximo e eleva a produtividade do seu negócio.

Este foi o nosso artigo sobre como reduzir perdas na colheita de arroz. Gostou do nosso artigo? Quer saber mais sobre as diversas aplicações do Roblift Agro na lavoura? Acesse aqui!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *