fbpx

Quanto ganha um caminhoneiro autônomo?

Quanto ganha um caminhoneiro autônomo

A grande maioria dos caminhoneiros brasileiros trabalha como autônomo. Esses profissionais representam aproximadamente 67% do total de motoristas de caminhões no Brasil, segundo pesquisa da CNT.
Embora tenha mais autonomia, quem opta por trabalhar como caminhoneiro autônomo precisa investir capital, trabalhar muito e abrir mão de benefícios como FGTS, vale-refeição e plano de saúde. Por isso, é preciso ter um bom lucro para valer a pena. Do contrário, vale mais a pena procurar emprego nas transportadoras.

Veja quanto ganha um caminhoneiro autônomo

Um caminhoneiro autônomo ganha em média R$ 2.001,28 no mercado de trabalho brasileiro para uma jornada de trabalho de 44 horas semanais de acordo com pesquisa do Salario.com.br junto a dados oficiais do CAGED. A pesquisa foi realizada no período de 05/2019 até 12/2019, abrangendo um total de 3.064 salários.

Esse salário se aproxima do valor médio do piso salarial da categoria brasileira, que é R$1.826,55 para jornada de trabalho de 44 horas por semana.

No entanto, outra fonte de pesquisa, o Perfil dos Caminhoneiros 2019, da Confederação Nacional do Transporte (CNT), afirma que os motoristas empregados têm salários de R$ 3.720 e os autônomos faturam líquidos R$ 5.011, resultando na média de R$ 4.609 por mês, excluindo impostos, encargos, aluguel e combustível.

Saiba quais são os custos ligados à profissão

Porém, esses valores divulgados pela CNT geraram polêmica entre os caminhoneiros, pois indicam o faturamento total, em vez de corresponder à renda líquida da categoria. Em geral, o caminhoneiro autônomo considera como renda líquida o que sobrou do frete, depois de descontados os valores do combustível, do pedágio, da comida e da manutenção do veículo.

Quanto ganha um caminhoneiro autônomo

Os custos fixos ligados ao caminhão incluem depreciação do veículo, gasto com licenciamento, Seguro Obrigatório, IPVA, Despachante e seguro do veículo. O gasto com pneus, por exemplo, é bem alto – a média de tempo para troca de um pneu é de 13,6 meses.

Além disso, precisam ser levados em conta os custos com despesas administrativas (contador, telefone, seguro de vida, INSS, seguro do veículo) e despesas com viagem (refeições, pedágios).

Conheça os adicionais salariais pagos aos caminhoneiros

Ao calcular o valor do frete, o caminhoneiro autônomo deve levar em consideração fatores como distância percorrida, peso e tamanho da carga, perecibilidade, resistência ou fragilidade, periculosidade, toxidade, entre outros. As empresas costumam pagar mais por fretes de cargas perigosas, o que resulta em maior lucro para o caminhoneiro.

Os motoristas também têm direito a alguns adicionais salariais que ajudam a incrementar a renda. Numa jornada de trabalho noturna, o valor do adicional noturno do caminhoneiro autônomo por hora é de cerca de R$ 1,82. Assim, se o profissional cumprir todas as horas do mês como noturna, o seu salário terá um valor adicional de cerca de R$ 400,26 mensais.

Já o valor do adicional de periculosidade para o cargo com base no salário médio seria de R$ 600,38 mensais (30%). O adicional por insalubridade, por sua vez, é dividido por graus. A 1ª de 10% teria um valor de cerca de R$ 200,13, a 2ª de 20% seria de cerca de R$ 400,26 e a 3ª de 40% chegaria a um valor mensal de R$ 800,51.

Segundo o Ministério do Trabalho e Emprego, a caracterização e classificação da insalubridade e da periculosidade do caminhoneiro autônomo devem ser feitas através de perícia do Médico ou Engenheiro do Trabalho. Porém, a insalubridade e periculosidade não são cumulativos. O trabalhador deve optar por um ou pelo outro.

Entenda a importância de fazer um planejamento financeiro

O planejamento financeiro permite ao caminhoneiro conhecer melhor os seus custos e pensar em estratégias para reduzir gastos. Ele também poderá se programar para os gastos maiores, como a compra de um jogo de pneus novos, gastos com as revisões e até a troca do caminhão.

O primeiro passo é criar uma planilha com todas as despesas fixas e variáveis relacionadas ao serviço. Para isso, considere fixos os gastos que mudam pouco ao longo do tempo, como mensalidades, prestações e gastos periódicos (pneus, trocas de óleo, revisões programadas).

Faça também um planejamento das rotas antes de cada viagem. Desse modo, será possível evitar trechos de estrada mal conservados e horários com congestionamentos. Também é importante fazer o cálculo dos valores dos pedágios e da quilometragem rodada, para saber se determinada alternativa compensa mais que seus caminhos habituais.

Como vimos, o caminhoneiro autônomo precisa levar em consideração uma série de despesas para calcular os seus rendimentos e fazer um bom planejamento para otimizar os seus ganhos.

Este foi o nosso artigo sobre quanto ganha um caminhoneiro autônomo.  Quer saber mais sobre o trabalho dos caminhoneiros? Veja neste artigo as diferenças e vantagens entre caminhoneiro autônomo, agregado e empregado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *